domingo, 9 de novembro de 2008

Euforia

Atrás do cansaço

Do maço que me console

Um traço que não complique

Um braço...


Um tempo que não se acabe

Tecendo uns terços de recomeços

Iminentes fins trágicos


Se for prazer

Que seja logo

Um poema

Que seja rápido

Deixe-me ileso

Leso


Tira o disco do Odair

Eu me vejo


Meios célebres de fins funestos

Máscaras alegres


Euforia

Alforria da razão

Alegria alcoólica

Intervalos da consciência

Aterradora!

Enterrada por enquanto


Nada resolvido

Tempo razoável


Noite divertida.

Até mais. Beijos!

Renan Ramalho
09.11.08


4 comentários:

Jéssica disse...

gosto de suas palavras, da sua poesia,

me levam a além delas...

=)
beijos, mocinho

Canjica| disse...

Blog já está ficando velhinho.. rée

valeuu

GABRIEL, gustavo disse...

E abraços.

Adauri Vidal disse...

Valeu garoto, seu blog está ficando massa.Gostei das poesias, visite o blog do meu irmão que lá tem umas poesias massa.
Obs. Já sou seu seguidor
Adauri.
Terra & Aventura Ecoturismo
http://www.terraaventuraecotour.blogspot.com/

Blog do meu irmão:
http://ajvidal.blogspot.com/