quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sorriso educado

Ainda engatinhando, inspirado pela leitura das poesias do blog de Rodolfo (http://www.tengolengo.blogspot.com/), pouco conhecido por mim, mas já admirado; tento utilizar elementos da poesia concreta. Sim e aproveitando, Rodolfo é um pouco culpado por isso tudo, já que foi ele que apresentou a poesia a Flávio, que apresentou a mim... desde então decidi chamar de poesia o que antes pra mim eram letras de novas músicas

"A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
e tudo se acabar na quarta feira"


Tom Jobim

FELIZ


Uma frase guardada por anos

Atormentou-me por todo esse tempo

Minha memória desconhecia

Mas se expandia, feria


Meus demônios

Meus medos

Um inimigo próximo, desconhecido

Eu os criei. Eles me dominavam


Por toda cautela, não tenho cicatrizes

Imaginava não ter feridas

Se as marcas ensinam...


...a pele aberta atemoriza, sensibiliza

MEDO!


Tristeza... finjo feliz... tristeza

Intempérie... tic tac verdade tic tac... conforto.

A ilusão adia o processo


Um grito!...

...rouco, empoeirado e espremido é a melhor solução

Renan Ramalho. 2007/2008

3 comentários:

juju_doxinho disse...

É o minino...
São os textos...
As poesias...

Flávio Américo disse...

Cara, gostei muito dessa poesia. Me fez pensar como tem coisas em mim que desconheço, mas que mesmo assim me atormentam. tenho duas alternativas: alienação ou o grito. cada dia q passa, tento dar uns gritos de leve, pois, caso contrário, minha garganta n aguenta.

o amor é o verdadeiro cartão de identidade do cristão. disse...

menino, pq não coloca à musica q vc compos no curso de férias abu-recife, aqui???
e q Jesus te capacite mais e mais...